#026: Um gay pode confiar que também é salvo?

Após me compreender e me aceitar como gay (e inicialmente isso significou pretender abandonar a fé – eu já não suportava me reprimir nem me enganar e, até então, acreditava que só poderia ser crente em Deus se me reprimisse) um sentimento de culpa e medo, pavor, me sondou por mais alguns meses. Eu sempre tive o costume de anotar algumas Palavras[1] e, há pouco, lia algumas dessas minhas anotações. Relembrei que a certeza de salvação que hoje tenho foi confirmada, não poucas vezes, em pregações.

Não é que eu não vacile na fé. Não é que eu não me questione se meus passos têm “agradado” a Deus. Essa certeza de salvação significa que sei que em Cristo, e só por ele, sou amado por Deus.

Transcrevo, a seguir, uma pregação que Deus deu a um irmão ancião, em um culto no interior de São Paulo, em abril de 2017, a respeito da leitura de Atos capítulo 27, e que falou muito comigo em um dia de grande incerteza, de turbulência espiritual em que me encontrava por me haver aceito gay. Relendo essa pregação senti conforto, e espero que ela possa confortar alguns outros corações.

” […]
Mesmo que você se sinta como aprisionado [em algum sentimento], fale da Palavra de Deus! Você chegará onde o Senhor te prometeu, ainda que tenha de remar contra o vento. Ninguém que o Senhor ama morrerá, mesmo que tenha que ir à nado, ou segurando em alguma coisa frágil.
[…] Sua visão está turva e faz tempo que você não vê com clareza, mas você passará a enxergar com nitidez.
Parece que está tudo errado, você diz que o Senhor não pode estar na sua vida, mas isso que você passa é justamente para que você e os outros vejam que Deus está na sua vida, sim!
O vento parece forte, você sente sua vida abalada por algumas situações, mas elas não te destruirão e nada tirará seu objetivo de servir a Deus.
Você gostaria que tudo desse “certo”, mas tudo parece estar errado [2]; saiba que o Senhor está na sua vida e que nada de mal vai acontecer a você.
Parece que algo [de ruim] acontecerá, mas coma [da Palavra] porque o que você tiver que fazer você fará e nada deste mundo vai te impedir de chegar onde você precisa chegar!
Você não é capaz, mas Deus pode parar essa tempestade. O vento passou na sua vida e tirou algo de que você gosta, mas agora Deus começa uma construção nova e a consertar o que o vento destruiu. E o que falta, Deus vai trazer.
Tem coisas quebradas que só Deus conserta, mas ele conserta. Fique firme na fé em Deus, porque ainda que você quebrou algo, não quebre a fé e esperança de entrar no céu.
[…]
Você precisa chegar na terra onde tenha firmeza, mas está chegando o tempo em que você terá essa firmeza. Não desista, fique nesse intento e nesse desejo, se é o de servir melhor a Deus, de ir para o céu […].
Você não consegue dominar alguma coisa, assim como o vento também era mais forte do que o navio [em que se encontrava Paulo], mas dentro de você tem o que é mais forte que o adversário.
Você tenta e se esforça, mas não tem mais forças. Hoje Deus pega na sua mão e te ajuda a remar. Você clamou e buscou, bateu e nada aconteceu, [e disse:] “Mesmo me esforçando não dá! Senhor, não consigo mais!”, mas Deus está na sua vida. Não fique temeroso porque Deus puxa sua mão para que você chegue ao porto [da salvação].
Tem coisas que o Senhor preparou para você, que você precisa anunciar.
Há muitos ventos contrários que te levam para onde você não quer ir, mas o vento do Espírito Santo entrará na tua vida e, então, trará firmeza, certeza, segurança, novidade.
O Senhor renovará tuas forças, teu ânimo. Tua “vida” não afundou, o Senhor é contigo, tenha bom ânimo. Continue clamando a Ele.
O Senhor te diz: Não quero que ninguém pereça, mas que tenha a vida.
O Senhor renovará tudo na tua vida. Quando passa a tempestade vem o renovo e logo tudo está consertado.
[…]”

Ressalto que “os ventos contrários” não significaram minha sexualidade, mas a “tempestade” era minha dúvida do amor de Deus por mim (era isso, e não minha sexualidade, que me fazia desanimar na fé) e minhas frustrações por não conseguir mudar a minha própria natureza homossexual. Hoje já não duvido, e tenho a firmeza na fé prometida por meio dessa e de outras pregações.

Eu continuo remando contra o vento, indo de encontro a muitas coisas que aprendi e que acreditei piamente serem verdades. Estou segurado em frágeis destroços da embarcação em que eu estava e em que me sentia confortável, é verdade. Porém, em meio às turbulências, posso dizer que vejo com clareza que Deus é muito mais amor do que qualquer pessoa possa ter imaginado: enxergo o porto da minha salvação.

Quem tem ouvidos, ouça: Deus nos ama, e não quer que ninguém pereça na fé, mas que todos vivam na certeza da salvação.

É possível ser salvo, mesmo remando contra o vento, mesmo diante dos preconceitos devido à falta de conhecimento dos irmãos. Não é fácil nem confortável, mas possível e com destino seguro: o porto desejado, a nossa salvação.


[1] Palavra é a pregação, exortação de um trecho da Bíblia com uma mensagem ao ouvinte.
[2] Na ocasião, eu ainda desejava de algum modo ser “normal”, pois ser gay ainda me soava como “absurdamente errado”.