#018: Por que ainda estou no "armário"?

Tenho me mantido “no armário” por tanto tempo por temer abalar a fé daqueles que me cercam e que tanto amo. Essas pessoas, entretanto, mal podem imaginar que a cada dia roubam um pedaço de nós, roubam um fôlego, uma esperança. Elas não imaginam que a cada dia podem matar um pouco de nós, se não o nosso desejo de viver, ao menos a nossa fé e confiança.

Hoje ouvi, sem querer, da pessoa que mais me ama neste mundo, um diálogo simplificado a seguir:

– Ele já até é assumido.
– Tudo está desandando, é o fim dos tempos!
– E não se pode falar nada, tem que aceitar.
– Porque qualquer coisa, que se diz, é preconceito.

Aquela frase* “Antes de dizer o ‘amém’ na igreja, lembrem-se que uma criança está te ouvindo” não poderia ter sido mais autêntica, mais real. Senti e ouvi, mais uma vez, esse “amém” tenebroso ecoando em mim.

Essas pessoas que me cercam (e não falo de pessoas que propagam ódio, não, pois a estas tenho ignorado, mas falo de pessoas que amam e servem a Deus em muita sinceridade) não podem compreender o peso que tem o “amém” que falam, não só na igreja, mas no dia a dia, a todo instante. Elas não imaginam que, do lado delas, pode haver uma “criança” ouvindo aquele “amém” irracional.

Há um tempo venho querendo escrever um texto de mais confiança, de mais ânimo, um texto que resolvesse nossos questionamentos, nosso desespero e luta por aceitação, por compreensão. Que resolvesse ao menos nosso anseio para sermos ouvidos. Não consigo, perdoem-me.

Porém eu sempre posso lhes dizer que, para cada peso que colocam sobre mim, eu sinto um refrigério de Deus que me dá paz. Eu queria poder fazer com que todos, héteros e homossexuais, pudessem sentir essa paz! E tudo que eu posso dizer é que encontrei essa paz lendo a Bíblia, mas rejeitando os pré-conceitos que eu tinha. Eu não pude achar um verso se quer que condenasse os que amam a Deus e as pessoas, e que têm os frutos do Espírito, que se resumem na mansidão e amor.

A Bíblia não condena essas pessoas, mas diz que elas são salvas. Aliás, todo e qualquer discurso de ódio ou intolerância que ouvirmos, podemos ter muita certeza de que não está apoiado, legitimamente, na Bíblia. Jesus desconstruiu esses discursos de hipocrisia e marginalização do diferente, e qualquer “amém” que não seja com entendimento, e para agregar, não pode ser chamado “culto racional”.

É por isso que sinto uma paz e confiança imensa e, ao ouvir esse “amém”, já não choro por mim, mas por lembrar que, diariamente, há “crianças” ouvindo discursos que as aniquilam, pouco a pouco.

Foi “em nome de Deus” que conseguiram instaurar discursos mortíferos, assim como Paulo perseguia e matava cristãos em nome de Deus. Ele tinha muito zelo, mas nenhum entendimento. Os cristãos se escondiam e refugiavam nas cavernas, eu me escondo no “armário”, ao menos por um pouco mais de tempo, rogando forças e luz para agir em defesa do nome de Deus. Confesso, contudo, que na maioria das orações, simplesmente suplico: Ora, vem, Senhor Jesus.

Refugiem-se em Cristo, é ele que sempre nos defende. Se você nota possuir obras do Espírito Santo (aquelas de amor, tolerância e misericórdia para com todos), não seja aniquilado pelos discursos de intolerância, ainda que sejam proferidos em nome de Deus, pois, como está escrito: eles têm zelo de Deus, mas sem nenhum entendimento.

PS: quando digo “estou no armário por temer abalar a fé das pessoas”, não estou a dizer que os assumidos (como eu serei em breve) não respeitam essa mesma fé. No armário ou não, somos incompreendidos pelos cristãos tradicionais. Só permaneço sem me assumir para ter voz entre aqueles que nunca me ouviriam se soubessem sobre minha sexualidade. O texto não responde a pergunta do título, mas esta é uma indagação do tipo: vale a pena estar no armário?

*Frase do filme: Orações para Bobby (2009).
Um filme sobre um jovem cristão gay e sua mãe devota.
Recomendado a todo cristão de fé irracional, pois fé e razão não deveriam se opor.

2 comentários sobre “#018: Por que ainda estou no "armário"?

  1. Eu tenho me mantido no armário unicamente por instrução da palavra. Por diversas vezes o Senhor me exortou claramente a não contar. Como você já escutei coisas horríveis daqueles que amo, e palavras machucam bastante. Mas não se entristeça, o amor de Cristo nos ajudará a suportar todas as coisas; pois Ele também conhece nossa dor.\”E, sendo (Jesus) acusado pelos príncipes dos sacerdotes e pelos anciãos, nada respondeu.Disse-lhe então Pilatos: Não ouves quanto testificam contra ti? E nem uma palavra lhe respondeu…\”Mateus 27:12-14

    Curtido por 1 pessoa

  2. É verdade, irmão querido! Cristo é nosso bálsamo consolador. Mas essa dor não é feita por Deus, e sim pelos homens. Eu confesso que não sei se Deus quer que eu me mantenha \”no armário\”, acho que saindo (e mantendo um bom testemunho) posso tentar esclarecer um pouco alguns. Se puder, entre em contato, vamos conversar. Meu email: tambemsoucristao@gmail.com
    Deus te abençoe imensamente.A paz de Deus

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s